28 de julho de 2010

FRENESI

Rafael Chateaubriand
 Hoje, eu senti um vento frio levando minha ignorância.
Quando temos algo, aprendemos a dar importância.
Quando não entendemos o significado
Nunca podemos começar, nunca estará acabado.
Lutei com mais força para conseguir
Sentir o que me entorpece.
Se não provei do gosto do doce,
O resto amargo me perece.
A noite o mel chegou em meus lábios
E mostrou-me algo diferente.
Um sabor novo que toma conta da gente.
Isso e meio louco, anormal, ou mesmo alucinante.
E pior que a droga, o álcool, ou outro estimulante.
Por que esse efeito não quer mais passar?...
Estou com medo de uma overdose ter,
Onde isso vai parar?
Eu já estou viciado, queria nunca ter te experimentado.
Essa droga que eu tanto evitei, acabei conhecendo.
Eu sei se não parar morrerei, e no fim sofrendo
Eu quero matar a infeliz que me trouxe o sabor
Da droga que eu tanto evitei que me traz pavor.
E o bendito sofrer de amor...



Esta Poesia é do meu filho Rafael Chateaubriand, que eu gosto muito. Espero que vocês gostem. Por favor deixem o comentário bjusssss

2 comentários:

JOSE CARLOS DE SOUSA disse...

mais no e que ficaste linda muie adooooooooooooooooooreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei

Jarlanne disse...

Muito linda a poesia desse meu namorado,
essas poesias tavam guardadas aew na sua casa era?
ele é lindo, inteligente e poeta own *-*
beijo

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Fique a vontade e volte quando quiser.
Deixe seu comentário no quadro abaixo.
Bjussss Rosélia Santos.

A partir de segunda feira começarei a fazer Resenhas dos produtos que serão postos a venda para vocês!! Aguardem.