28 de abril de 2015

MORRE ANTÔNIO ABUJAMRA – O ETERNO RAVENGAR!!

O ator e diretor de teatro Antônio Abujamra, 82 anos,  morreu na manhã desta terça-feira (28), em São Paulo. A causa da morte foi um infarto no micárdio, segundo o SPTV. Ele deixa dois filhos e dois netos.
Ainda de acordo com o SPTV, o diretor foi encontrado desacordado na manhã desta terça pela cuidadora, que chamou um dos filhos do artista, Alexandre. Ele foi à casa do pai, na Rua Maranhão, Higienópolis, Zona Oeste da capital, onde médicos atestaram o óbito.
O velório, de acordo coma família, será realizado no Teatro Sérgio Cardoso, na  Bela Vista, possivelmente no fim da tarde.
O sobrinho, João Abujamra, contou que conversou com o tio nesta segunda-feira (27) e ele “estava ótimo”. João também afirmou que ele não estava fazendo nenhum tratamento médico
Segundo nota divulgada pela TV Cultura, emissora em que apresentava o programa Provocações, ele estava dormindo em sua casa.
“É com grande pesar que informamos que hoje, 28/04/2015, o apresentador de Provocações, Antônio Abujamra, faleceu. Agradecemos o carinho e apoio de todos que tem nos acompanhado ao longo desses 14 anos de programa”, diz nota na página do programa no Facebook.
Nascido em Ourinhos, em 15 de setembro de 1932, Antônio Abujamra foi um dos primeiros a introduzir os métodos teatrais de Bertolt Brecht e Roger Planchon em palcos brasileiros.
Formou-se em filosofia e jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, em 1957. Inicia-se como crítico teatral e faz suas primeiras incursões como ator e diretor no Teatro Universitário, entre 1955 e 1958, nas montagens de “O Marinheiro”, de Fernando Pessoa; “À Margem da Vida” e “O Caso das Petúnias”, de Tennessee Williams; “A Cantora Careca” e “A Lição”, de Eugène Ionesco; e “Woyzeck”, de Georg Büchner.
Abujamra estreia profissionalmente em 1961, em São Paulo, no Teatro Cacilda Becker, onde dirige “Raízes”, de Arnold Wesker, e no Teatro Oficina, com “José, do Parto à Sepultura”, de Augusto Boal. “Antígone América”, de Carlos Henrique Escobar, 1962, é a primeira de uma série de montagens que dirige para a produtora Ruth Escobar.
Em 1963, associa-se a Antônio Ghigonetto e Emílio Di Biasi e funda o Grupo Decisão, com a intenção de disseminar o teatro político com base na técnica brechtiana. A primeira produção é “Sorocaba, Senhor”, uma adaptação de “Fuenteovejuna”, de Lope de Vega.
Em 1965, Abujamra dirige, no Rio de Janeiro, a montagem de “O Berço do Herói”, de Dias Gomes. A peça foi interditada pela censura no dia do ensaio geral. Nos anos seguintes, dedica-se ao Teatro Livre, companhia de Nicette Bruno e Paulo Goulart realizando montagens ambiciosas, como “Os Últimos”, de Máximo Gorki.
Em 1975, dirige Antônio Fagundes no monólogo “Muro de Arrimo”, de Carlos Queiroz Telles, paradoxo entre as duras condições de vida de um operário da construção civil e suas ilusórias expectativas de um futuro brilhante, e recebe o Prêmio Molière, pela direção de “Roda Cor de Roda”, de Leilah Assumpção.
Na primeira metade dos anos 1980, Abujamra se engaja em recuperar o Teatro Brasileiro de Comédia. Entre seus espetáculos mais significativos no TBC estão “Os Órfãos de Jânio”, de Millôr Fernandes, 1981; “Hamletto”, de Giovanni Testori, 1981; “Morte Acidental de um Anarquista”, de Dario Fo, 1982; e “A Serpente”, de Nelson Rodrigues, 1984. Em 1987, encerrado o projeto do TBC, Abujamra dirige, para a Companhia Estável de Repertório, de Antonio Fagundes, a superprodução “Nostradamus”, de Doc Comparato, grande êxito de bilheteria.
Aos 55 anos, Abujamra inicia sua carreira de ator. Em dois anos, atua em duas telenovelas e três peças e é premiado pelo desempenho no monólogo “O Contrabaixo”, de Patrick Suskind, 1987. Em 1991, recebe o Prêmio Molière pela direção de “Um Certo Hamlet”, espetáculo de estreia da companhia Os Fodidos Privilegiados, fundada por Abujamra para ocupar o Teatro Dulcina, no Rio.
 
"A essência do meu progresso estava em poder aceitar a minha decadência. Ou seja, progredir até morrer, porque viver é morrer. E não me arrependo de nada”.
 
ANTÔNIO ABUJAMRA
Jornal O Estado de São Paulo - 2010
 

G1.com

PROGRAMAÇÃO OFICIAL DO SÃO JOÃO DE PATOS-PB 2015


Na tarde desta segunda-feira, 27 de Abril, a Prefeita Francisca Motta reuniu a imprensa para divulgar oficialmente a Programação do São João de Patos 2015. 
Sob o olhar atento dos formadores de opinião, a Prefeita antecipou que o evento acontece em 2015, com Parceria Público Privado, onde a empresa realizadora legalmente será a Área Badalada Eventos
De acordo com Francisca Motta, o evento terá a duração de cinco dias, de 19 a 23 de Junho. “Este ano, todo o evento irá homenagear Pinto do Acordeon, cujo tema: Por amor ao forró – Viva Pinto do Acordeon marcará o tom das nossas atrações, com muito forró e a alegria típica do homenageado,” destacou. 
Durante a coletiva, a Prefeita antecipou melhorias na estrutura do evento, a exemplo de camarotes com ainda mais qualidade; atrações nacionais revezadas nos dois palcos; entrada de bebida no Terreiro do Forró, respeitando as normas de segurança das Polícias, quanto aos recipientes de vidro, bem como, a realização já nesta terça-feira, 28, de uma reunião com os barraqueiros. 
“O São João é patrimônio do povo de Patos, demonstra a nossa identidade e o nosso calor humano. Em 2015, superando muitos desafios, a exemplo da crise econômica nacional; continuamos garantindo a sua realização, para aquecer a economia de Patos e promover a nossa cultura, mantendo a qualidade de um dos maiores e consolidados eventos juninos do mundo,” enfatizou. 
Francisca Motta antecipou ainda, que os preparativos para a decoração da cidade já começaram e que tudo está sendo preparado por artesãos, artistas plásticos, decoradores e arquitetos de Patos, para homenagear Pinto do Acordeon e colorir a cidade. 
A Prefeita ressaltou que em 2015, a Programação Folclórica do evento continuará dinâmica e atrativa, com Passeio de Carroças, Ônibus do Forró, Concurso São João na Minha Rua, Concurso São João no Meu Comércio, Terreirinho do Forró, Feira de Calçados e a segunda edição do Programa Televisivo Festa na Roça, realizado na Concha Acústica, em parceria com o SBT Paraíba – TV Tambaú.
Francisca Motta finalizou divulgando, uma a uma, as atrações artísticas que se apresentarão no Terreiro do Forró. Cerca de trinta e cinco atrações locais, regionais e nacionais se revezarão e garantirão muito forró, nas cinco noites de festa, do São João de Patos.
  

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO OFICIAL SÃO JOÃO DE PATOS - PB 2015

 
19 DE JUNHO (Sexta-Feira) 
João Lima (Neto de Pinto do Acordeon) 
Roberto Vaneirão
Pinto do Acordeon
Aviões do Forró

 
20 DE JUNHO (Sábado)
Espora de Ouro
Bruno Mello
Netinho Lins & Forró da Cancha
Luan & Forró Estilizado
Victor& amp; Leo

 
21 DE JUNHO (Domingo)
Forró Bakana
Ramon Schnayder
Bruno & Marrone
 

22 DE JUNHO (Segunda-Feira)
Os Três do Nordeste
Bonde do Brasil
Gabriel Diniz
 

23 DE JUNHO (Terça-Feira)
Forró Saudade
Sorró do Dono
Forró Pegado
Eliane a Rainha do Forró
Vicente Nery


OUTRAS ATRAÇÕES

Balanço de Mulher
Forró da Macambira
Forró da Nanah
Forró do Dan
Forró do Precateado
Forrozão S.A
Gê Maria
Marquito do Forró
Matéia do Forró
Sela Dourada
Sola de Pé
Teinha do Forró
Tiete e os Timbaleiros
Uz Frajolas
Zé Nilton
 
Fonte: Patosonline
 
 
VEM PRA PATOS!!
O SÃO JOÃO DAQUI É BEM MELHOR

25 de abril de 2015

CANDY LIPS: USADO PARA AUMENTAR OS LÁBIOS PODE DEFORMAR A BOCA PARA SEMPRE


Em busca de uma boca carnuda e sensual, mulheres ao redor do mundo decidiram testar um produto que promete ser revolucionário no mercado da beleza. Vendido por cerca de R$ 250 pela internet, o Candy Lipz usa o método da sucção para inchar os lábios e, de acordo com o fabricante, seria uma opção aos tratamentos estéticos de preenchimento.
O problema é que, como a grande maioria das usuárias já acabou sentindo na pele – literalmente -, o quanto o dispositivo pode ser perigoso à saúde. De simples hematomas a até danos graves e permanentes, o Candy Lipz oferece mais riscos que benefícios.
O furor em torno do produto começou a partir do momento que uma das irmãs da socialite Kim Kardashian, Kylie Jenner, atribuiu a seus lábios surpreendentemente mais volumosos que o normal, o uso do Candy Lipz.
Imediatamente, a internet foi inundada com garotas ávidas por saber se o sugador realmente funcionava ou não.
Enquanto algumas meninas se diziam temerosas, outras arriscaram usar o dispositivo. O resultado, no entanto, é, no geral, diferente do que Kylie Jenner diz ter conseguido.
São incontáveis os exemplos de mulheres que testaram o Candy Lipz e acabaram com a boca deformada. A dermatologista Samantha Enande explica como isso acontece.
- O produto suga os lábios, que são uma mucosa, e não pele. Tanto que, se alguém utilizá-lo na pele de qualquer outra parte do corpo, não vai ter efeito nenhum. Isso porque mucosas são regiões muito frágeis e vascularizadas. O Candy Lipz pega os vasos, aperta-os, e, quando solta, acontece um fluxo de sangue mais alto. Isso cria um efeito de inchaço, e aquela região cresce porque está vascularizada, ou seja, ela cresce porque fica com edemas.
As consequências negativas do Candy Lipz vão desde o inchaço relatado por milhares de internautas e até mesmo danos sem solução, como é o caso dos granulomas - pequenos nódulos de caráter inflamatório que se formam nos lábios e podem se tornar irreversíveis. O mais comum de se ver nas fotos que as usuárias postam na internet, no entanto, são os hematomas.
O hematoma é o efeito instantâneo, e que pode levar de 10 a 14 dias para desaparecer. Um dos maiores perigos do produto é que é impossível saber qual a medida e o tempo certos de sucção para cada pessoa ter o resultado desejado. É impossível saber como vai ficar, pode ficar de um tamanho desproporcional. O organismo interpreta como um trauma é como se a pessoa batesse na mucosa causando o trauma da mesma.
De acordo com a dermatologista, os efeitos do produto variam de pessoa para pessoa, e este pode ser um dos maiores perigos do Candy Lipz.
- Minha amiga pode ter usado e não sofrido nenhum grande dano, mas comigo sofro um hematoma. Ou, por exemplo, posso fazer a sucção por 30 segundos e não obter efeito, e depois tento por 40 segundos, mas aí acontece um desastre. O resultado do Candy Lipz é, acima de tudo, um machucado. Estou provocando uma situação de estresse para o meu corpo.
No site do Candy Lipz, há a recomendação de se fazer a sucção por, no máximo, dois minutos. O fabricante diz que se trata de um procedimento seguro, que usa tecnologia exclusiva para criar o efeito de lábios carnudos.
O site informa, ainda, que o produto foi desenvolvido para rejuvenescer a boca das mulheres e deixar seus lábios mais sensuais. O dispositivo seria usado com frequência em modelos de comerciais, desfiles e filmes.
Perguntada se é possível obter resultados esteticamente favoráveis, a dermatologista Samanta Enande é taxativa.
“Nunca. Ele só vai inchar os lábios, e a pessoa ainda corre o risco de se machucar,”
Para a médica, quem busca uma boca mais carnuda deve recorrer aos procedimentos estéticos disponíveis no mercado da dermatologia e da cirurgia plástica. É o caso do ácido hialurônico, que custa, em média, R$ 1.000 por aplicação.
Além dele, alguns médicos optam também pelo preenchimento definitivo, algo não recomendado na opinião de Samanta.
- Ele é feito com um material mais grosso que eu não aconselho. É como um cimento ósseo, usado em procedimentos ortopédicos. Tem um preço mais acessível, mas o resultado final é estranho.
R7.com

24 de abril de 2015

DOENÇA CONTAGIOSA CHEGA À PARAÍBA


Uma doença contagiosa conhecida por ‘Eritema Infeccioso ou  Parvovírus B19’ chega a Paraíba  e já preocupa as autoridades de saúde. Várias pessoas apresentando os sintomas da doença estão procurando os serviços de saúde. Diante da situação, técnicos do Ministério da Saúde já se encontram em João Pessoa fazendo uma avaliação de todo os casos suspeitos, mas até agora não foi fechado nenhum diagnóstico preciso sobre doença.
Um dos pacientes apresentando os sintomas da doença procurou o serviço de saúde é o médico suspeitou que se tratava da doença que é muito confundida com a dengue.

Segundo Especialistas veja algumas informações sobre a doença
 
 
O que é Eritema infeccioso?
Eritema infeccioso é uma doença causada pelo vírus parvovírus B19. Também chamada de parvovirose, ela afeta principalmente crianças e o principal sintoma são erupções vermelhas nos braços, pernas e rosto. Essa doença pode ser grave em casos de gravidez ou pessoas com um sistema imunológico comprometido.
 
Causas:
O parvovírus B19 humano provoca eritema infeccioso. A doença já é contagiosa uma semana antes das erupções aparecerem. No entanto, uma vez que a doença se manifesta, a doença deixa de ser contagiosa.

Sintomas:
A maioria das pessoas com eritema infeccioso não têm sintomas. Entretanto, pacientes já se apresentaram com:
Garganta inflamada;
Febre baixa;
Dor de estômago;
Dor de cabeça;
Fadiga;
Coceira; 
Garganta inflamada; e
Manchas avermelhadas que podem se estender para os braços, tronco, coxas e nádegas. A coloração das manchas é rosada ou avermelhada e com um ligeiro relevo.

Eritema infeccioso em adultos:
Adultos não costumam desenvolver as erupções e manchas no rosto. Em vez disso, o sintoma mais importante do eritema infeccioso em adultos é a dor nas articulações, que podem durar dias ou semanas. As articulações mais comumente afetadas são as mãos, pulsos, joelhos e tornozelos.

Eritema infeccioso em crianças:
Vários dias após o aparecimento dos primeiros sintomas pode aparecer uma mancha avermelhada em ambas as faces da criança. Eventualmente, ela pode se estender para os braços, tronco, coxas e nádegas. A coloração das manchas é rosada ou avermelhada e com um ligeiro relevo.

Tratamento:
Na maioria dos casos não é necessário qualquer tratamento para eritema infecioso. Se há dor nas articulações ou dor de cabeça, por exemplo, podem ser usados analgésicos conforme os sintomas aparecerem. Caso contrário, é necessário apenas esperar o corpo combater o vírus, o que normalmente leva de uma a três semanas.
Repouso e ingestão de líquidos são ações que facilitam o processo de cura. As crianças muitas vezes podem voltar para a escola quando as erupções cutâneas acontecem, pois já não são mais contagiosas nesse ponto.
Após contrair o parvovírus uma vez, a pessoa se torna imune à doença.

Transmissão
É uma doença transmitida pelo ar e através de fluidos corporais.
 
Prevenção:
Não há vacina para eritema infeccioso. É Importante lavar suas mãos e as da criança com frequência pode ajudar a diminuir as chances de infecção. Além disso, é importante evitar o contato com crianças e adultos infectados pelo menos até que ocorram as erupções cutâneas
Paraíba.com

MORTOS CHINESES NÃO TERÃO MAIS SHOWS DE STRIPPERS EM SEUS FUNERAIS


As autoridades chinesas estão lançando uma campanha para acabar com stripteases e outros espectáculos “lascivos” que se tornaram populares nos funerais em algumas áreas rurais, declarou o Ministério da Cultura nesta quinta-feira (23), afirmou a agência Associated Press.
O ministério disse em um comunicado que vai reforçar o controle sobre a cultura rural, onde performances vulgares têm prosperado por causa de uma falta geral de eventos culturais.
Tais performances em funerais são um fenômeno relativamente novo. Muito moradores das zonas rurais acreditam que um grande comparecimento é um sinal de honra para o morto, e os shows são utilizados para atrair mais gente e mostrar a prosperidade da família.
Os funerais são também uma ocasião rara para as pessoas se reunirem, uma vez que os moradores que trabalham como migrantes em centros industriais voltam para casa para enterrar o falecido.
Antigamente, as performances de ópera tradicional eram populares nos funerais, seguidas mais tarde por sessões de cinema.
Nos últimos meses, as pessoas que voltaram para suas cidades natais no interior para funerais reclamaram nas redes sociais sobre programas eróticos.
O ministério citou uma performance de seis strippers em um funeral no norte da província de Hebei e um show de três artistas em um funeral na província oriental de Jiangsu.
“Os responsáveis por atos vulgares serão punidos. Tais operações ilegais têm perturbado os mercados de entretenimento local e corrompem os costumes sociais”, disse o ministério.

UOL.com

23 de abril de 2015

VIGILANTE DE UNIVERSIDADE NA PARAÍBA RECEBE TÍTULO DE DOUTOR


José Itamar
 
Obstinação, esforço e força de vontade. Foram essas características que moveram o vigilante da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), José Itamar Sales da Silva (46), a concluir o Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e se tornar o primeiro vigilante com título de doutor na Paraíba. A tese, aprovada com distinção, foi defendida no dia 24 de março, tendo como título “Panela que muito mexe: o Guisado da Cultura Política do Brasil a luz da Literatura de Cordel”.
Conciliando trabalho e estudo, José Itamar enveredou pelos caminhos da cultura popular para realizar o sonho de se tornar o primeiro doutor vigilante da Paraíba, seguindo uma trajetória que não foi fácil e lhe custou sacrifício e muita dedicação.
Quando não estava em atividade na UEPB, ele passava o tempo lendo e aprofundando as pesquisas. Foi na biblioteca Átila Almeida que ele passou a maior parte do tempo nas leituras que lhes ajudaram a escrever a tese, concebida dentro de um universo de encantamento e raridades em pleno interior nordestino, que se destaca por dispor do maior acevo de cordel da América Latina.
Há 24 anos como servidor técnico administrativo da Universidade Estadual da Paraíba, Itamar se graduou em História pela UFCG, fez Especialização e Mestrado pela UEPB, instituição da qual sente grande orgulho, e destaca que a política de capacitação profissional executada pela Instituição foi fundamental para a realização do seu sonho.
Nas duas pós-graduações que fez na UEPB, Itamar manteve a sua linha de pesquisa, enveredando pelo universo da cultura popular, especialmente, pela literatura de cordel. A Especialização “Gestão Estratégica de Pessoa no Serviço Público” foi realizada em 2010 e serviu de motivação para o vigilante investir na formação continuada. Posteriormente, ele conseguiu a aprovação no Mestrado em Literatura e Interculturalidade. Defendeu a dissertação “A representação da sogra na obra do poeta Leandro Gomes de Barros”, que resultou em um livro publicado pela Editora Universitária da UEPB.
Itamar já trabalhou como vigilante em vários setores da Universidade. Atualmente, ele faz a vigilância noturna do Centro de Integração Acadêmica. Como caçador de sonhos, ele agora tem como meta se tornar professor da Instituição onde já trabalha há mais de duas décadas.
UOL.com

DILMA É “O FANTASMA DO PLANALTO”, DIZ A REVISTA INGLESA THE ECONOMIST


A mais recente edição da revista inglesa The Economist traz um artigo crítico sobre a gestão da presidente Dilma Rousseff, classificando a petista como “O Fantasma do Planalto”.
O texto fala das recentes manifestações de rua contra a presidente e o PT, frisando que os que foram para as vias públicas já ganharam mais do que imaginam, pois em menos de quatro meses após o início de seu segundo mandato consecutivo Dilma continua em seu cargo, mas para muitos efeitos práticos, não está mais no poder.
Quem comanda a economia é o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e o PMDB detém as rédeas da política. Além disso, o seu partido, o PT, não toma mais as decisões em Brasília. O texto destaca as dificuldades de Dilma se manter no poder, citando que a incendiária combinação da deterioração da economia com o grande escândalo de corrupção na Petrobras contribuiu para derrubar seu índice de popularidade.
E lembra a pesquisa Datafolha, divulgada no dia 11 de abril, na qual 63% dos entrevistados se dizem favoráveis ao impeachment da presidente. Ao falar sobre o tema, a revista diz que a oposição busca pareceres jurídicos para saber se ela pode ser acusada em razão do escândalo da Petrobras ou pela violação da Lei de Responsabilidade Fiscal.
O texto diz que a situação atual é um grande revés para o PT, que durante anos dominou a política brasileira graças ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. E que o mais dramático “nessa hemorragia do poder presidencial” é que Dilma tem ainda pela frente quase quatro anos de mandato.
“Nesse tempo a economia vai certamente piorar antes de melhorar”, diz a publicação, indagando se ela sobreviverá. Em outro trecho, o artigo faz um contraponto de que como ex-guerrilheira que já sobreviveu à tortura, dificilmente pode-se esperar que Dilma renuncie.
Apesar das duras críticas, a revista diz que o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso, classificado de líder intelectual da oposição, tem razão ao advertir que o impeachment neste momento seria uma temeridade. E argumenta que os movimentos sociais, por trás dos protestos de rua, poderiam gastar o seu tempo nos próximos três anos promovendo a reforma política, pressionando a Justiça para punir os responsáveis no caso do petrolão e reinventando a moribunda oposição. No final do texto, a The Economist questiona se Dilma Rousseff, “quase sem amigos” e com um longo e desanimador trabalho pela frente terá a coragem necessária para tentar recuperar o poder que perdeu.
 
yahoo.com
Por: Elizabeth Lopes

22 de abril de 2015

ABELHAS PODEM TORNAR-SE “VICIADAS” EM PESTICIDAS, DA MESMA FORMA QUE OS SERES HUMANOS FICAM VICIADOS EM CIGARROS, SUGERE UMA NOVA PESQUISA.


Os zangões e abelhas parecem preferir néctar com produtos químicos como o neonicotinóides por exempolo. Este pesticida geralmente é usado para proteger as culturas de insetos.
Cientistas da Universidade de Newcastle e Trinity College Dublin relatam uma série de experiências em que as abelhas ao provar o necta com pesticidas, sempre voltam ativamente para tais amostras e despresam as amostras que não contem o produto.
Os estudiosos acreditam que ao provar o pesticida a reação desses insetos é prazerosa como o produto ativasse  de forma extraordinaria os centros de recompensa em seus minúsculos cérebros.
As amostra de açúcar com pesticidas fizeram com que as abelhas voltassem de forma repetitiva. Os cientistas fizeram uma comparação aos fumantes que não conseguem ficar sem cigarro e buscam uma atras do outro.
Os resultados, publicados na revista Nature ontem à noite, vem como funcionários da UE estão já se questionando se o neonicotinóides deve ser banido permanentemente como pesticida.
Os conservadores argumentam que os produtos químicos são parcialmente responsáveis pelo declínio das abelhas, “o que temos visto uma redução enorme da população de abelhas nos últimos anos”.
Pesquisas anteriores sugerem que “neonics” (inseticida quimicamente semelhante a nicotina) afeta a forma como as abelhas voam, prejudicando assim, sua capacidade de encontrar comida. E, alguns cientistas acreditam que os produtos químicos também têm em grande impacto sobre as abelhas selvagens e os zangões.
Três tipos de neonicotinóides estão atualmente sob proibição temporária e parcial na Europa - mas está proibição expira no final do ano.
Os agricultores argumentam que, sem os pesticidas, haverá um grande declínio no rendimento de suas culturas, porque sem eles são não tem como proteger a safra contra as pragas principalmente, no repolho.
O autor do estudo Professor Geraldine Wright, da Universidade de Newcastle, disse: “As abelhas não podem provar neonicotinóides e, portanto, não evitar o uso desses pesticidas é colocá-las em risco de intoxicação. “Pior ainda, agora temos evidências de que as abelhas preferem o alimento contaminado com pesticidas”. “E, o Neonicotinóides age no cérebro da abelhas da mesma forma que a nicotina no cérebro humano”.
“O fato de que as abelhas mostram uma preferência por alimentos contendo neonicotinóides é preocupante, já que como a nicotina, os neonicotinóides podem agir como uma droga para tornar os alimentos que contêm estas substâncias mais gratificante”.
Se abelhas campeiras preferem coletar néctar contendo neonicotinóides, isso poderia ter um impacto negativo sobre colônias inteiras.
Um segundo estudo, também publicado na Nature ontem à noite, sugeriu que os neonicotinóides tem efeitos nocivos sobre as populações de abelhas em ambientes agrícolas, e não se configura apenas em laboratório.
Essa pesquisa pelo Dr. Maj Rundlof da Universidade de Lund, na Suécia, descobriu que as áreas em que foram utilizados os produtos químicos em menor densidade as abelhas selvagem e as solitárias tiveram maior crescimento da colônia.
Sandra Bell, do grupo Amigos ambientais da Terra, que fez campanha contra neonicotinóides, disse: “Há evidência científica que os inseticidas neonicotinóides prejudicam nossas abelhas, estes produtos químicos perigosos não devem ter lugar em nossas fazendas e jardins. As abelhas são essenciais para nós - é preciso que sejam tomadas medidas para reduzir todas as ameaças que elas enfrentam”.
O professor David Goulson, da Universidade de Sussex, acrescentou: “Neste momento já podemos argumentar que o uso agrícola dos neonicotinóides prejudicam as abelhas selvagens”.
Mas o professor Lin Field, chefe de química biológica e proteção das culturas no instituto agrícola Rothamsted Research em Harpenden, entendeu que os estudos não são suficiente para colocar um fim ao debate do uso dos neonicotinóides. “ Nós simplesmente precisamos de mais dados antes que possamos realmente dizer quais são os riscos. Nós também temos que considerar a razão pela qual usamos estes compostos: como podemos ter recursos para o controle de insetos-praga? “É comprovado que os rendimentos seriam reduzidos? São os inseticidas alternativos mais seguros para as abelhas? Estas são perguntas que um debate de dois anos sobre ‘neonics’ é incapaz de responder”.
Nick von Westenholz, da Associação de Proteção de Cultivos disse que a pesquisa era simplesmente parte de “uma campanha em curso para desacreditar pesticidas neonicotinóides”. Ele disse: “É uma pena que o debate em torno do uso dessas tecnologias importantes parece estar cada vez mais politizada, com ativistas anti-pesticidas consistentemente a promover sua agenda sob os auspícios de pesquisa independente.
Enquanto isso, o único efeito da restrição de neonicotinóides na Europa até agora tem sido um fluxo constante de relatórios de agricultores que as suas culturas estão sofrendo graves prejuízos.
 

Fonte: dailymail
 

ANTICONCEPCIONAL MASCULINO DEVE CHEGAR AO MERCADO EM 2017


A Fundação Parsemus, dos Estados Unidos, deve lançar um método contraceptivo para ser utilizado por homens até 2017. O produto está em fase de testes. Segundo os cientistas, o remédio não tem contraindicações e não modifica a produção de hormônios masculinos.
O mecanismo desenvolvido pela empresa consiste na aplicação de um gel, chamado Vasalgel, nos vasos deferentes, que ficam nos testículos. O gel bloqueia a passagem dos espermatozoides, da mesma forma como aconteceria se o homem fizesse uma vasectomia. A diferença é que a situação pode ser revertida com a aplicação de uma injeção de bicarbonato de sódio no local. O medicamento, que pode funcionar por até dez anos, tem custo estimado para a comercialização inferior a US$ 400 (cerca de R$ 1.500).
Até o momento, os testes mostraram que o produto é eficaz em animais, mas as experiências em seres humanos ainda não foram realizadas. A Fundação Parsemus é uma organização norte-americana sem fins lucrativos voltada ao desenvolvimento de medicamentos com baixo custo.
“O Vasalgel é uma ação prolongada, contraceptivo não hormonal semelhante à vasectomia, mas com uma vantagem significativa: é provável que seja mais reversível”, afirma a Parsemus, em nota.
Segundo Elaine Lissner, diretora da ONG, a expectativa do produto é reduzir substancialmente o número de gestações não programadas. “Homens possuem, hoje, basicamente as mesmas opções anticoncepcionais que tinham há cem anos. Ou usam camisinha, ou fazem vasectomia, que é permanente. O Vasalgel trata-se de uma nova opção, reversível e acessível”, afirmou.
A pesquisa começou em 2010, depois que a Fundação Parsemus adquiriu os direitos sobre um medicamento chamado RISUG, desenvolvido e comercializado na Índia, há cerca de três décadas. Após pequenas modificações no contraceptivo, a empresa realizou testes bem-sucedidos em coelhos por 12 meses.
No ano passado, a Parsemus aplicou o produto em babuínos, que tiveram acesso irrestrito a 15 fêmeas para copular. Seis meses depois, nenhuma ficou grávida. Os experimentos em macacos continuam a ocorrer e, depois de finalizados, a intenção é testar o produto em humanos.
A Parsemus ressalta, no entanto, que, como a produção do contraceptivo não interessa às grandes indústrias farmacêuticas, as pesquisas dependem da doação de apoiadores. Perto de mil pessoas já doaram e mais de 23 mil assinaram uma lista de apoio à pesquisa, segundo a instituição.
Segundo a socióloga Denusa Alcades da Unesp (Universidade Estadual Paulista), a chegada de um contraceptivo masculino ao mercado é importante para que haja uma divisão maior da responsabilidade entre homens e mulheres para evitar a concepção indesejada. “Ainda é comum dizerem que a mulher foi a responsável pela gravidez, que o homem não sabia. A responsabilidade cai toda sobre a mulher. Um método masculino ajuda a equilibrar essa situação, tira o peso que está só nas costas femininas”, conta.
Já o psicólogo e sexólogo Daniel Denardi, a medida é importante também para os homens, já que, com isso, eles passam a depender apenas de si para evitar a concepção. “Muitos homens já crescem com a preocupação e a responsabilidade em só conceber um filho quando preparados e gostariam de também ter o poder de controlar esta situação. Com essa tecnologia, isso se torna possível, sem depender da mulher”, disse.
Para Denardi, o medicamento poderá ajudar, também, homens que não se adaptam ao sexo com preservativo. “Além disso, há casos onde a mulher não pode utilizar contraceptivos hormonais. Em todos os casos, é uma excelente notícia”, conclui.
 
Fonte: uol.com

21 de abril de 2015

"NÃO SOU VERÔNICA"!!!

"EU ABRI A PORTA E ELA DISSE QUE IA ME MATAR”
 
“Você é o Satanás e eu vou te matar”.
Assim começou o pesadelo de Laura P., de 73 anos, no último dia 11. Após abrir a porta de seu apartamento, ela ouviu a ameaça de sua vizinha, a travesti Verônica Bolina, de 25 anos, e começou a ser espancada. 
Dona Laura recebeu a reportagem do R7 em casa neste sábado (18), no bairro da Bela Vista, em São Paulo. Uma semana após a agressão, marcas de sangue ainda mancham as paredes do andar onde ela mora.
O caso ficou conhecido depois que a travesti foi presa e arrancou a orelha de um carcereiro, teve fotos divulgadas em que aparece sem blusa e com o rosto machucado, o que levantou denúncia de entidades que defendem os direitos humanos. 
Laura está com o nariz e um braço quebrados, várias marcas roxas pelo corpo, ligamentos das pernas rompidos e dezenas de pontos no couro cabeludo, após passar por uma cirurgia para tratar um traumatismo craniano. Ela ainda perdeu todos os dentes da parte superior da boca. 
Desde então, ela só consegue ficar sentada, única posição que encontrou para dormir. 
Segundo Dona Laura, ela estava trabalhando no sofá de casa quando Verônica, que mora no mesmo andar, bateu à porta.
- Eu estava sentada trabalhando quando ele bateu na porta. Ele disse “você é o Satanás e vou te matar”. Depois começou a me dar socos.
Uma outra travesti que mora no mesmo andar, conhecida como Beatriz, foi quem entrou no apartamento para ajudar a idosa. Segundo o boletim de ocorrência, ela também apanhou de Verônica, assim como uma terceira vizinha, Lívia.
Laura conta que, no momento em que a Beatriz interviu na briga, as duas saíram do apartamento. A idosa então trancou a porta, mas Verônica conseguiu arrombá-la para uma nova agressão, dessa vez com mais violência.
Com uma bengala nas mãos, Verônica quebrou diversos móveis e objetos do flat. Ela ainda teria jogado uma cadeira contra Dona Laura.
- Se não fosse a Bia, eu estaria morta. Ela salvou a minha vida. Eu nunca tive problema nenhum com a Verônica, pelo contrário, todas as vezes que nos víamos pelo corredor nos cumprimentávamos. Eu nunca reclamei de barulho e nunca briguei. Ele simplesmente invadiu a minha casa e quase me matou.
Laura é corretora de seguros e trabalha em casa, no flat onde vive há seis anos. Ela disse que nunca se importou com os travestis e garotas de programa que moram e trabalham no local.
- Eu nunca me importei com o que fazem ou deixam de fazer. Minha vida se passa da minha porta para dentro. Só que eu quero justiça, porque apanhei muito e por quase meia hora.
O filho da idosa, Augusto P., é quem está cuidando do processo e quem acompanhou os desdobramento da prisão de Verônica - levada para o 2° DP, ela arrancou a orelha de um carcereiro no local.
- Estamos revoltados porque estão querendo transformar a Verônica em uma heroína. Ela teve a dignidade tirada por estar no chão com os seios à mostra. Mas e minha mãe? Eu quero justiça pelo que ele fez, independente se ele é travesti ou se fosse homem, ou uma mulher. Outra travesti salvou a vida da minha mãe e devo toda gratidão do mundo.
Outros moradores do edifício disseram à reportagem, na condição de anonimato, que a violência de Verônica foi causada por um surto por conta do uso de crack.
A reportagem também encontrou a mãe de Verônica, Marli Ferreira Alves Francisco, de 48 anos, que estava no local esvaziando o flat da filha. Ela disse que “minha filha está bem”, antes de avisar que não vai mais falar com a imprensa por orientação dos advogados.
Verônica foi indiciada por tentativa de homicídio contra Laura, dano qualificado, desacato, resistência e lesão corporal, além de tentativa de homicídio pela agressão contra o carcereiro. Os inquéritos correm no 78 e 2° DP. Verônica foi transferida para um presídio na sexta-feira (17).  
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que "ela foi ouvida na tarde desta quarta-feira e confirmou que, quando estava detida em uma cela, expôs a genitália e começou a se masturbar, o que provocou a revolta dos outros presos. Para conter a situação, um carcereiro entrou na cela para retirá-la, quando Verônica o atacou com uma mordida na orelha. O delegado esclarece que Verônica se machucou durante esses confrontos".
O órgão afirmou ainda que o caso será investigado pela corregedoria para apurar a conduta dos policiais envolvidos na agressão contra Verônica. O caso ganhou grande notoriedade depois que entidades de defesa dos direitos humanos questionaram fotos divulgadas em que Verônica aparece no chão, sem blusa e com o rosto ferido depois de ter apanhado.
R7.com
 
 
Já fiz diversas postagens aqui contra violência sobre qualquer aspecto. E, principalmente contra idosos. É difícil acreditar que ainda tem gente que pronuncia a seguinte frase “Somos todos Verônica!”. Nada!!! Nada justifica o que esse RAPAZ fez com esta idosa.
Não é um seio de silicone, um vestido e um rosto maquiado que vai fazer desse RAPAZ uma mulher. Na verdade, ele tornou-se indigno desse adjetivo. Tenho vários amigos com opções sexuais diferentes da minha, respeito e sou respeitada por todos eles. São pessoas excepcionais que antes de tudo escolheram ser PESSOAS.
Defendem, porque seus seios de silicone foram expostos! E os órgãos genitais quando ele resolveu expor dentro da cela a fim de provocar os outros homens que ali se encontrava? Não conta por quê? Merece aplausos??
E todo o corpo de Dona Laura? E a dor que ela está sentindo? E a humilhação de ter sido agredida dentro de sua própria casa?? Não importa??
Façam-me uma favor!! “Jamais serei Verônica... Jamais serei um Charleston Alves Francisco.” Trata-se de um HOMEM forte, agressivo e principalmente covarde. Basta olhar o seu porte para ver isso.  
Prefiro ser BEATRIZ, que mostrou antes de tudo ser uma PESSOA!!! E, prestar socorro a Dona Laura.   
Agora eu pergunto aos Verônicas que querem cobrir o sol com a peneira... E se fosse Dona Laura sua mãe ou sua avó? Seria você uma Verônica???   
Querem se justificar, usando o fato de Dona Laura morar no mesmo prédio! E daí? Isso justifica tamanha violência? Será que algum representante dos Direitos Humanos chegou a visitar Dona Laura?
Acredito que não!! Afinal... isso não dá IBOPE!!!
 
Rosélia Santos

20 de abril de 2015

CASA DE REPOUSO NA HOLANDA ABRIGA UNIVERSITÁRIOS EM TROCA DE COMPANHIA


Na casa de repouso Humanitas, em Deventer, na Holanda, é comum observar longos e gostosos bate-papos entre jovens e idosos. As conversas parecem acontecer entre netos e avós que se gostam muito. Todos moram juntos, só que não há vínculo sanguíneo entre eles.
Essa interação entre gerações, que coloca sob o mesmo teto 160 idosos e seis universitários faz parte de um projeto inovador, que começou há dois anos, quando o estudante Onno Selbach entrou em contato com a gerente da casa de repouso, Gea Sijpkes. Ele reclamava do excesso de barulho, das condições precárias da universidade onde morava – com alojamentos caros e pequenos – e sugeria um intercâmbio.
Lá, os estudantes das universidades Saxion e Windesheim não precisam pagar aluguel, desde que passem ao menos 30 horas por mês como “bons companheiros” dos idosos. O objetivo é reduzir a solidão dos mais velhos e acabar com a imagem negativa que muitos têm sobre o processo de envelhecimento.
Os estudantes participam de diversas atividades com os moradores. Preparam refeições, fazem compras, comemoram aniversários, assistem TV e fazem companhia quando alguém adoece. Também planejam atividades de acordo com os interesses de cada um.
Quando um grupo de idosos demonstrou interesse por grafites, por exemplo, os alunos os levaram para as ruas, munidos de spray e pedaços de papelão para ensiná-los sobre essa forma de arte. Já o morador Anton Groot Koerkamp, de 85 anos, se interessou por aulas de informática. Jurrien Johanna, seu vizinho de 22 anos, se prontificou a ajudá-lo. Hoje, Anton já sabe navegar na internet, tem perfil no Facebook e envia e-mails.
São relações como a de Anton e Jurrien que rompem o isolamento social e a solidão – tão comuns entre os idosos -, responsáveis pelo aumento dos casos de depressão e até de mortalidade. Só que é difícil dizer quem se beneficia mais com o projeto. Os moradores desfrutam – e muito – da presença dos jovens, mas os estudantes também aprendem. Essa conexão entre gerações cria interações sociais positivas e benéficas para todos os residentes da casa de repouso, sejam jovens ou idosos. É uma belíssima forma de criar um ambiente acolhedor e acabar com a barreira dos idosos com o mundo exterior.
Os jovens podem entrar e sair quando necessário, desde que não incomodem os mais velhos. Mas não é qualquer aluno que pode morar nesta simpática casa! Os interessados passam por processo de seleção criterioso antes de se mudar para lá. Na avaliação, são levadas em conta a origem do estudante e suas motivações para o trabalho no local.
O projeto criativo da Humanitas já ultrapassou as fronteiras holandesas. Intercâmbios de gerações têm surgido na França, Reino Unido e Estados Unidos. Em alguns países, idosos independentes alugam quartos com desconto para estudantes.
Mas os pioneiros são os espanhóis, que começaram as experiências de habitação compartilhada em 1996, em Barcelona. Segundo a Associação Internacional de Lares e Serviços para o Envelhecimento (IAHSA, na sigla em inglês), o programa funciona hoje em mais de 27 cidades.
Espero que a ideia chegue ao Brasil e, aos poucos, melhore o sistema atual de atendimento ao idoso. Afinal, a população mundial está ficando mais velha. A vida está cada vez mais longa, mas nascem menos crianças. E todos, sejam crianças, jovens, adultos ou idosos, precisamos aprender a conviver com as diferenças (e com todas as idades).
 
Superinteressante
Por: Vanessa Daraya

A partir de segunda feira começarei a fazer Resenhas dos produtos que serão postos a venda para vocês!! Aguardem.