31 de janeiro de 2013

CÂNCER DE MAMA: O MEDO VENCE A VAIDADE

Nos anos 1970, os defensores dos direitos das mulheres tinham muitas dúvidas em relação à mastectomia. Eles afirmavam que os cirurgiões – grupo que na época era formado quase que somente por homens – removiam as mamas rápido demais após o diagnóstico de câncer.
Mas hoje as coisas mudaram. Uma nova geração de mulheres exige que os médicos utilizem abordagens mais agressivas, e um número cada vez maior vem pedindo a retirada até de mamas saudáveis com o intuito de evitar o surgimento de um câncer.
Os pesquisadores estimam que até 15 por cento das mulheres com câncer de mama – 30 mil casos ao ano – optam por retirar as duas mamas, decisão que, no final dos anos 1990, era tomada por 3 por cento das mulheres. Aparentemente a grande maioria dessas mulheres nunca realizou testes ou recebeu aconselhamento genético e toma a decisão com base em um medo exagerado de risco de reincidência.
Além disso, os médicos afirmam que é cada vez maior o número de mulheres que pede para se submeter à mastectomia sem ter recebido diagnóstico de câncer, amparadas pela existência de um risco genético. (Essas mulheres não constam dos bancos de dados de registro de câncer, por isso seu número é desconhecido).
“O que enfrentamos é quase uma epidemia de mastectomia profilática”, afirmou a Dr. Isabelle Bedrosian, oncologista cirúrgica do Centro Oncológico M.D. Anderson, em Houston. “Eu acredito que a comunidade médica tenha notado. Por que as mulheres têm optado pela cirurgia, se não temos dados que expressem essa necessidade do ponto de vista oncológico?”
Um dos motivos talvez sejam as campanhas intermináveis de conscientização que incutiram nas mulheres um medo permanente da doença. É possível que os aprimoramentos das cirurgias de reconstrução também estejam contribuindo com essa tendência, bem como o anúncio público de celebridades sobre a decisão de realizar a mastectomia preventiva.
Allyn Rose, 24 anos, representante do estado de Washington D.C. no concurso Miss Estados Unidos, esteve nas manchetes este mês, quando anunciou seus planos de remover as duas mamas após o concurso. A mãe e a avó da modelo morreram de câncer de mama. A personalidade televisiva Giuliana Rancic, 37 anos, e a atriz Christina Applegate, 41 anos, também anunciaram publicamente que realizariam a mastectomia dupla após receberem o diagnóstico de câncer de mama em estágio inicial.
‘Não encontraremos outros órgãos que as pessoas retirem do corpo porque estão preocupadas em relação a uma doença’, afirmou o historiador da área médica Dr. Barron H. Lerner, autor do livro ‘The breast cancer wars’ (2001). ‘Como o câncer de mama possui grande carga emocional e recebe muita atenção, eu acredito que as mulheres às vezes se sintam obrigadas a agirem da forma mais proativa possível. Essa é uma característica social da doença.’
A maior parte dos dados sobre mastectomia profilática é da Universidade de Minnesota, onde os pesquisadores estudaram as tendências de realização da mastectomia contralateral (remoção da mama saudável junto com a mama afetada) de 1998 a 2006. O Dr. Todd M. Tuttle, chefe de cirurgia oncológica, afirmou que as taxas de mastectomia dupla mais que dobraram no período e essa tendência não apresentou sinais de diminuição.
A partir dessas tendências e fazendo uso de relatórios sem comprovação científica, Tuttle estima que pelo menos 15 por cento das mulheres que receberem o diagnóstico de câncer de mama se submeterão à retirada também da mama saudável. ‘São as mulheres mais jovens que estão fazendo isso’, afirmou.
O risco de mulheres com câncer de mama desenvolverem câncer na outra mama é de aproximadamente 5 por cento ao longo de 10 anos, afirmou Tuttle. Mas um estudo realizado pela Universidade de Minnesota descobriu que as mulheres estimam que esse risco seja de mais de 30 por cento.
‘Eu acredito que existam mulheres que superestimem de forma acentuada o risco de terem câncer’, afirmou.
A maioria dos especialistas concorda que a mastectomia dupla é uma opção razoável para as mulheres com risco genético acentuado e que possuam o gene de câncer de mama. Esse foi o caso de Allison Gilbert, de 42 anos, escritora do condado de Westchester, em Nova York, que descobriu o risco genético após perder a avó para um câncer de mama e mãe para um câncer de ovário.
Mesmo assim, ela adiou a decisão de realizar a mastectomia preventiva até perder a tia para uma forma agressiva de câncer de mama. Ela realizou uma mastectomia dupla em dezembro. (A escritora já havia removido os ovários).
‘Eu acreditava que as mulheres de minha família não tinham como evitar a fatalidade’, afirmou Gilbert, autora do livro ‘Parentless parents’ (2011), sobre como os pais de uma pessoa influenciam na forma como ela criar seus filhos. ‘Aqui tive uma oportunidade maravilhosa de saber o que tenho e de agir em relação a isso e, se Deus quiser, estarei presente mais tempo na vida de meus filhos’.
Mas ela afirma que a decisão não foi tomada facilmente. A mastectomia dupla e a reconstrução exigem uma cirurgia de no mínimo 11 horas e meia e recuperação intensa. Ela obteve aconselhamento genético, participou de um grupo de apoio e examinou suas opções.
Contudo, os médicos afirmam que muitas mulheres não estão assim tão bem informadas ao tomar a decisão. No mês passado, pesquisadores da Universidade de Michigan divulgaram um estudo envolvendo mais de 1.446 mulheres que tiveram câncer de mama. Quatro anos depois do diagnóstico, 35 por cento pensavam em remover a mama saudável e 7 por cento já a tinham removido.
Notadamente, o risco de reincidência de câncer não era alto para a maioria das mulheres que retiraram as duas mamas. Na verdade, os estudos sugerem que a maioria das mulheres que se submetem à mastectomia dupla nunca realiza testes ou busca aconselhamento genético.
‘O câncer de mama toca muito o sentimento das pessoas, e elas percebem a mama diferentemente de um braço ou uma parte necessária do corpo que utilizamos todos os dias’, afirmou Sarah T. Hawley, professora adjunta de medicina interna da Universidade de Michigan. ‘As mulheres sentem que têm total escolha sobre essa parte do corpo, e dizem: 'quero deixar o problema para trás, não quero mais ter que me preocupar’.
 
 
Fonte: The New York Times News

30 de janeiro de 2013

MORRE NENÊ BENVENUTI MÚSICO DA BANDA OS INCRÍVEIS

Morreu às 5h50 desta quarta-feira (30) o músico Nenê Benvenuti, que foi baixista da banda Os Incríveis, um dos destaques do rock brasileiro nas décadas de 1960 e 1970.
A informação é da assessoria de imprensa do hospital Sancta Maggiore, em São Paulo, onde ele foi internado nesta quarta-feira (29), em razão de um câncer de pulmão com metástase óssea. O corpo foi velado, até ás 15h, no hospital Beneficência Portuguesa, também em São Paulo.
O grupo Os Incríveis ficou marcado por interpretar a música “Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones” que ganharia uma nova versão nos anos 1990, gravada pelo Engenheiros do Hawaii.
Em 2009, Benventuri lançou o livro “Os Incríveis anos 60-70”. O perfil do músico e escritor no site da Novo Século, que editou a obra, informa que ele iniciou a carreira aos 12 anos de idade, em 1959, “como baterista do grupo The Rebels”. Dois anos mais tarde, ele teria optado pelo instrumento com o qual tocaria nos Incríveis.

Fonte: g1.globo.com/

CUIDE DO SEU BEBE: MEDICAMENTOS COMUNS CONTRA FEBRE PODEM CAUSAR DANOS RENAIS

A febre é um sintoma comum manifestado pelo corpo durante uma infecção e, na maior parte dos casos, não é perigosa. Quando a vítima do problema é uma criança, entretanto, os pais não sossegam enquanto nenhum medicamento lhes for prescrito. Mas, segundo um estudo publicado na versão online do Journal of Pediatrics nesta última sexta-feira (25), a atitude precipitada por ser perigosa. Pesquisadores das instituições Butler University e a Indiana University, nos Estados Unidos, descobriram que tratar crianças doentes com remédios comuns contra febre aumenta o risco de problemas renais.
Para a pesquisa, a equipe analisou dados médicos do Riley Hospital for Children, em Indianápolis, de janeiro de 1999 a junho de 2010. Nesse período, o hospital recebeu mais de mil pacientes com lesão renal aguda. Após excluir casos em que o problema era decorrente de doenças que afetavam a função renal, os especialistas encontraram 27 casos em que os danos foram causados pela administração de anti-inflamatórios não esteroides. Isso significa que aproximadamente 3% das crianças foram internadas pelo excesso de cuidados.
Embora a porcentagem seja baixa, os danos relacionados à administração precipitada desse tipo de medicamento se mostraram bastante graves. Cerca de quatro pacientes se tornaram dependentes de diálise e pelo menos sete sofreram danos permanentes nos rins. Assim, especialistas reforçam que os pais devem ter paciência e esperar, pelo menos no começo, que o corpo combata a infecção. De qualquer forma, não deixe de consultar um médico.
Vendidos sem prescrição médica, anti-inflamatórios têm sido usados de maneira abusiva pela população. No Brasil, 80 milhões de pessoas têm o hábito de se automedicar, segundo levantamento da Associação Brasileira das Indústrias Farmacêuticas (Abifarma). De acordo com Rosany Bochner, pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a automedicação é decorrente de uma questão cultural. “Todas as casas têm um monte de medicamentos e as pessoas cada vez mais pensam que sabem resolver seus problemas sem a ajuda do médico”, afirma.
Além do risco de danos colaterais, outro problema da automedicação é o risco de dependência. Tomar anti-inflamatórios toda vez que se tem dor nas costas, por exemplo, pode virar um vício, fazendo com que o princípio ativo do remédio não faça efeito no organismo quando for realmente necessário. O mesmo acontece com relação aos descongestionantes nasais. Quando usado frequentemente, ainda que em pequenas quantidades, sofre uma diminuição progressiva do seu efeito. Em outras palavras, se antes o indivíduo precisava de um comprimido para melhorar, agora precisa de dois.
Por fim, a automedicação pode mascarar os sintomas, fazendo com que o indivíduo demore a procurar um médico. “O atraso no diagnóstico pode ser sério e levar à morte”, alerta Rosany Bochner. Independente do problema, portanto, o ideal é sempre buscar um profissional antes de adotar qualquer método de tratamento, mesmo os caseiros.
 
 
Fonte: msn.minhavida.com.br/

EM QUE SENTIDO O NAMORO DA XUXA VAI MUDAR SUA VIDA?

Recentemente, a apresentadora Xuxa se irritou, em seu Facebook, quando as pessoas começaram a perguntar se o novo namorado dela era negro. “Tem gente ligando pra saber se meu namorado é negro. Isso é importante? A cor do meu namorado? 231 jovens morreram numa tragédia tão perto de onde eu nasci. Vamos rezar, mandar energia pras mães e pais que perderam os filhos”, declarou a apresentadora.
Tenho uma admiração muito grande pela apresentadora Xuxa. Por isso achei a resposta dela bárbara.
Desde que surgiu o comentário não se fala em outra coisa. Beleza! Xuxa está namorando e dai? Ela é alguma espécie rara do planeta terra? O namorado dela é um ET? Gente... com tanta coisa acontecendo mundo afora a quem interessa o namoro de Xuxa? Que a notícia fosse repassada aos fãs da apresentadora tudo bem. Agora.. você passar semanas abrindo páginas de jornais que são considerados importantes nesse país e deparar com cinco seis tópicos dando conta do novo namorado da Xuxa. É demais!
Se brincar, vão querer fazer um grande Congresso sobre o namoro da Xuxa com direito a certificado reconhecido pelo ministério da cultura.  
Nada contra a nossa querida Xuxa! Na verdade, gosto muito dela como já citei acima. Portanto, que tal mudar o foco e deixar nossa Rainha ser feliz em Paz. E começar a se preocupar com coisas que o povo realmente precisa saber? Como por exemplo: Como anda a lei da ficha limpa, de quanto será o investimento na Educação esse ano e na Saúde? Com quanto podemos contar? A seca que está assolando o Nordeste e a situação do pessoal que sofre nas áreas de risco por causa das enchentes o que está sendo feito?Como estão as obras da transnordestina e a da transposição como estão? PARADAS EM ALGUNS PONTOS!! Há! E a internação compulsória dos miseráveis dependentes de drogas como anda? Está dando resultado? E as famílias desse pessoal estão tendo apoio por parte do governo?
E outros milhares e milhares de assuntos que nos diz respeito e que realmente irão fazer a diferença em nossas vidas. Isso sim, precisamos está informado.
O namoro da Xuxa?? Deixa que revistas e outros especializados no assunto já se encarregam de fazer, o que já está de bom tamanho. E o resto Xuxa dá conta.
Acorda Brasil!!  
 
Rosélia Santos

29 de janeiro de 2013

JOAQUIM BARBOSA COBRA APLICAÇÃO DA LEI DA FICHA LIMPA

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, enviou nesta terça-feira (29) ofício aos presidentes dos tribunais brasileiros cobrando a aplicação da Lei da Ficha Limpa no Judiciário. O ministro encaminhou o documento na condição de presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que retomou suas atividades hoje, após o recesso de fim de ano.
A Lei da Ficha Limpa foi sancionada em 2010 com regras mais rígidas para participação de candidatos na disputa eleitoral. Em julho do ano passado, o CNJ aprovou uma resolução exigindo ficha limpa para contratação de funcionários comissionados, ocupantes de funções de confiança e terceirizados no Judiciário.
O prazo para prestação de informações venceu em dezembro do ano passado. Vários tribunais que ainda não tinham cumprido todas as exigências pediram mais prazo para tomar as providências. Há necessidade de recadastramento dos comissionados e terceirizados e a exoneração daqueles que não se enquadram nos padrões da resolução.
No despacho de hoje, Barbosa concede prazo de até 30 dias para que os tribunais se adequem às regras e prestem informações. Também nega pedido de entidades representativas de servidores para que a resolução seja revista.
A Ficha Limpa aprovada pelo CNJ deve ser aplicada em todos os tribunais, com exceção do STF, que não está sob a jurisdição do Conselho.
 
Fonte: ultimosegundo.ig.com.br/

ARQUEOLOGIA E EDUCAÇÃO


JOSÉ OZILDO DOS SANTOS


 Embora seja uma ciência relativamente nova, quando comparada com outras, a Arqueologia vem vivendo uma nova era, oportunidade em que vários de seus conceitos estão sendo redefinidos.
Em várias partes do mundo, importantes acervos arqueológicos estão sendo destruídos numa escala alarmante, colocando em risco grande parte da história da humanidade que não foi desvendada.
Esta situação mostra a necessidade urgente da adoção de medidas, que possam reduzir as ações inconscientes do homem, geralmente, praticadas em nome do desenvolvimento econômico.
Se por um lado os ambientalistas alertam que o planeta está sendo destruído, os arqueólogos encontram-se nessa mesma posição e denunciam a destruição de inúmeras áreas contendo sítios arqueológicos – verdadeiros patrimônios da humanidade.
Numa maior escala do que as depredações promovidas durante o século XIX pelos aventureiros europeus em busca de riquezas, no norte da África, mais precisamente no Egito, atualmente ocorre depredações em várias partes do globo, colocando a Arqueologia em sinal de alerta.
Mais do que nunca é necessário o desenvolvimento de ações voltadas para a conservação dos patrimônios arqueológicos espalhados pelo mundo inteiro. Diante das inúmeras perdas registradas nas últimas décadas, é necessário se enfrentar o problema de frente e cortar o mal pela raiz. Somente a educação como processo de construção e formação do cidadão consciente, pode constituir-se numa medida eficaz a esse problema.
No caso específico dos sítios arqueológicos existentes no interior da Paraíba, a falta de conservação é um problema que vem aumentando e exige uma solução imediata. Vários matações contendo pinturas e gravuras já foram [e estão sendo] reduzidos a simples blocos de paralelepípedos. As famosas Itacoatiaras do Ingá - consideradas o maior e mais completo conjunto de gravuras rupestres existente no solo brasileiro - estão desparecendo por falta de ações governamentais, que garantam sua preservação, bem como pelas ações irracionais de alguns pseudos turistas, que visitam aquele importante sítio arqueológico.
Trata-se de um problema antigo, denunciado no final da década de 1940 por José Anthero Pereira Júnior e atualmente sempre enfatizado pela Sociedade Paraibana de Arqueologia, através da mídia ou em seminários e congressos, realizados dentro e fora do território paraibano.

 CACHOEIRA DO ENCANTADO, BAHIA: depredação de um patrimônio ainda pouco conhecido e estudado

No início da década de 1980, pesquisadores norte-americanos denunciaram a destruição pela qual vinham passados os sítios arqueológicos dos Estados Unidos. O problema, que à época encontrava-se fora de controle, foi combatido através de um conjunto de ações públicas e privadas, associadas a publicações de várias leis estaduais, voltadas para a proteção de tais áreas.
Na época, estabeleceu-se que a proteção e a conservação dos sítios arqueológicos situados em terras federais eram da responsabilidade do governo federal dos Estados Unidos. E, graças às leis promulgadas naquele país, milhares de sítios arqueológicos estão protegidos.
No caso específico do Brasil, apesar do texto constitucional garantir a preservação dos sítios arqueológicos e considerá-los como patrimônios da União, a grande parte desses sítios está localizada em áreas aonde o próprio governo federal vem desenvolvendo ou custeando projetos, sem, contudo, avaliar os impactos que tais ações podem causar aos acervos arqueológicos locais.
Todas as formas de desenvolvimento produzem impactos sobre os sítios arqueológicos. No Brasil, literalmente, nada existe para proteger as áreas consideradas de interesse para a Arqueologia e que se encontrem no caminho do chamado 'desenvolvimento'. E isto mostra a necessidade de um plano nacional de gestão arqueológica.
É de suma importância que nossos sítios arqueológicos sejam preservados e deles sejam afastadas as ameaças trazidas pelo desenvolvimento, salvaguardando, assim, grande parte da pré-história do homem brasileiro.
Enquanto que recursos financeiros não são direcionados para promover a proteção e a preservação dos sítios arqueológicos brasileiros, deve-se privilegiar a Educação Patrimonial em vários aspectos, tanto através da mídia como em sala de aula, e mais, tanto no campo como na cidade.
Os sítios arqueológicos devem ser sempre vistos como instrumentos de valor e de interesse público. No desenvolvimento de um projeto de Educação Patrimonial voltado para a proteção de nossos sítios arqueológicos, pode-se privilegiar a Arqueologia de Marketing, buscando-se, através de instituições, a exemplo da Sociedade Brasileira de Arqueologia e suas congêneres estaduais, recursos necessários ao desenvolvimento de tais ações educativas.
Ademais, da mesma forma que o discurso ambiental ganhou os diferentes espaços da sociedade, esforços sejam desenvolvidos para que o mesmo também ocorra em relação à proteção e à preservação de nossos sítios arqueológicos. No entanto, em ambos os casos, as ações têm que ir além dos discursos: É PRECISO CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR. E mais, a sociedade também precisa ser educada, conscientizando-se da importância que os sítios arqueológicos representam no processo de revelação do passado do homem e, que jamais tais espaços devem ser vistos como pedras no caminho do desenvolvimento. 

28 de janeiro de 2013

SER POLICIAL VAI MUITO MAIS ALÉM DO QUE VESTIR UMA FARDA


O soldado Leonardo de Lima Machado, que morreu na madrugada de domingo no incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS), ao tentar salvar outras pessoas que estavam no local, foi enterrado nesta segunda-feira com honras militares.
Machado, de 26 anos, conseguiu escapar com vida das chamas que se apoderaram da boate durante uma festa universitária, mas voltou a entrar duas vezes no local e, na segunda, ficou preso e faleceu junto com outras 230 pessoas.
“Ele tirou sua namorada, a deixou na calçada em frente e voltou a entrar para ajudar outros”, explicou à Agência Efe o cabo Gilmar Geison Buscher, companheiro de Machado no primeiro regimento de carros de combate do Exército.
Buscher o descreveu como “um exemplar profissional e uma pessoa excelente”, enquanto vários de seus colegas acrescentaram que ele era, antes de tudo, “um camarada”.
O soldado herói foi enterrado hoje na presença de dezenas de familiares, amigos e colegas do Exército, que lhe renderam honras militares no Cemitério Municipal de Santa Maria.
Os militares receberam o caixão, que estava coberto com uma bandeira do Brasil, com três salvas de tiros de fuzil ao chão e toques fúnebres de corneta.
Dezenas de pessoas presentes então aplaudiram os familiares que, profundamente comovidos, choraram durante toda a cerimônia, na qual receberam ainda a bandeira nacional depois que o caixão foi colocado na cova.
Nas primeiras horas de hoje, o Exército enviou um pelotão de soldados com vassouras e escovas para fazer uma limpeza geral no Cemitério Municipal, no qual serão enterrados cerca de 40 vítimas do incêndio.
Além do soldado herói, outros sete militares faleceram no acidente.

Os militares mortos são:
Leonardo de Lima Manchado, soldado que servia em Santa Maria (RS);
Daniela Dias de Matos, capitã médica cardiologista do Rio de Janeiro que passava férias em Santa Maria (RS);
Leonardo Machado de Lacerda, 1º tenente que atuava em Santa Maria (RS);
Bradi Adrian Silveira, 2º tenente que servia em São Gabriel (RS);
Diego Silvestre, 3º sargento servia em Uruguaiana (fronteira com Argentina);
Rogerio Floriano Cardoso, cabo que servia em Santa Maria (RS);
Lucas Leite Teixeira, cabo que servia em Santa Maria (RS);
Luciano Tagliapetra Esperidião, soldado que servia em Santa Maria (RS).

Li no yahoo.com/
Correio 24horas

27 de janeiro de 2013

TRAGÉDIA NO RIO GRANDE DO SUL DURANTE SHOW DA BANDA GURIZADA FANDANGUEIRA

Atualização dia 29/janeiro ás 17horas
 
Grande incêndio atingiu na madrugada deste domingo (27) a boate Kiss, em Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul. Segundo informações preliminares, o fogo teria começado por volta das 2h30, depois que o vocalista da banda que se apresentava e fez uma espécie de show pirotécnico, usando um sinalizador. As faíscas teriam atingido a espuma que faz o isolamento acústico no teto do estabelecimento e as chamas se espalharam.
O incêndio provocou pânico e muitas pessoas não conseguiram acessar a saída de emergência.
O número de pessoas que estavam na boate no momento do incêndio ainda não foi confirmado pelas autoridades. A festa reunia estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, dos cursos de Pedagogia, Agronomia, Medicina Veterinária, Zootecnia e dois cursos técnicos.
Porém, O número de mortos em um incêndio na boate Kiss em Santa Maria, no centro do Rio Grande do Sul, chega a 234, informou a Brigada Militar, em uma entrevista coletiva. Não há mais corpos no local. Um caminhão precisou realizar quatro viagens para retirar os corpos do local e levá-los até um ginásio.
Os corpos que foram possíveis de serem identificados por documentação serão apresentados a familiares. O ginásio da cidade está sendo liberado para velório coletivo.
Outras 48 pessoas continuam hospitalizadas. Hospitais da região precisaram solicitar auxílio de profissionais para atendimento.
Essa já é considerada a maior tragédia do Estado. Antes, o incidente com maior número de mortos no Estado havia ocorrido em 28 de julho de 1950, quando um avião quadrimotor chocou-se contra o Morro do Chapéu, em Sapucaía do Sul.
Conforme os Bombeiros, as vítimas fatais morreram devido à inalação de fumaça tóxica. “A maior parte dessas pessoas morreu asfixiada. Elas entraram em pânico e acabaram pisoteando umas às outras. O principal fator (para as mortes) foi a asfixia. O isopor gera uma fumaça muito tóxica”, afirmou o comandante geral do Bombeiros, coronel Guido de Melo.
Conforme um segurança que trabalhava na boate no momento do incêndio, entre mil e duas mil pessoas deveriam estar no local durante o incidente. A maioria era adolescente.
Ao menos seis casas de saúde da região receberam vítimas do incêndio, e voluntários estão auxiliando o trabalho na cidade. “Estamos mobilizando todo o estado. Temos hospitais de diversas regiões se disponibilizando para ajudar. De Canoas, Santo Ângelo, Santa Cruz, enfim. Todos estão colaborando para oferecer o melhor atendimento possível. Os trabalhos são intensos e é preciso uma mobilização muito grande”, disse Ciro Simoni, Secretário Estadual da Saúde, em entrevista à Rádio Gaúcha.
O Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, que tem uma unidade especializada em queimaduras, também receberá feridos.

 ALGUNS TESTEMUNHOS

Taynne Vendrúsculo, estudante que estava na boate durante o incêndio, afirmou “Foi durante uma música em que o cantor estava fazendo uma apresentação que tinha efeitos [pirotécnicos], porque provocou faíscas, alguma coisa que acreditamos que possa ter sido isso que causou [o incêndio]. Foi muito rápido. Ele estava cantando e, quando a gente viu, ele parou de cantar e aí a gente olhou e prestou atenção no que estava acontecendo e tinha o fogo no teto”, contou à GloboNews.

 

A estudante Luana Santos Silva, de 23 anos, que estava no local no momento do incidente, disse em relato à GloboNews “Nós olhamos para o teto lá na frente do palco e estava começando um fogo. Foi um amigo nosso que nos mostrou, aí nós começamos a cair. Minha irmã me puxou e eu saí arrastada pelo chão”.

Segundo a jovem, a fumaça se espalhou rapidamente. “Foi bem no início, foi só atravessar a rua e começou a sair fumaça. Aí começou a sair o pessoal desesperado e gente machucada. Era uma porta pequena para muita gente sair”.
 

A fotógrafa oficial da casa noturna Fernanda Freire Gomes Bona, de 23 anos, que estava em uma área VIP próxima à saída quando o incêndio começou conta: “Como estava perto da porta graças a Deus eu saí correndo, em cinco minutos estava do lado de fora. Uma pessoa me chamou para fotografar na área VIP, por isso que eu fui para lá, tem uma visão melhor”, contou Fernanda ao G1. “Normalmente eu fico no meio das pessoas. Foi sorte. Seu eu não estivesse trabalhando, não estaria na área VIP”.

O governador do RS, Tarso Genro, confirmou, por meio de sua conta no Twitter, que se dirigirá a Santa Maria. “Domingo triste! Estamos tomando as medidas cabíveis e possíveis. Estarei em Santa Maria no final da manhã”, escreveu o governador. A presidente Dilma Rousseff cancelou seus compromissos no Chile e viaja para Santa Maria ainda hoje.
A banda que estava tocando é uma banda amadora chamada Banda Gurizada Fandangueira Grupo musical gaúcho da cidade de Santa Maria, a banda ia completar 10 anos de carreira, e segundo o site da Banda, a mesma possuía estrutura própria, inclusive o transporte. E, o show pirotécnico fazia parte do espetáculo.

 
Lista completa das vítimas

1.    Alan Rembem de Oliveira
2.    Alexandre Anes Prado
3.    Alex Giacomelli
4.    Alisson Oliveira da Silva
5.    Allana Willers
6.    Ana Carolini Rodrigues
7.    Ana Paula Rodrigues
8.    Ana Paula Anibaleto dos Santos
9.    André Cadore Bosser
10. Andressa Roaz Paz
11. Andressa Thalita Farias Brissow
12. Andrieli Righi da Silva
13. Andrise Farias Nicoletti
14. Ângelo Nicolosso Aita
15. Ariel Nunes Andreatta
16. Augusto Cesar Neves
17. Augusto Malezan de Almeida Gomes
18. Augusto Sergio Krauspenhar da Silva
19. Benhur Retzlaff Rodrigues
20. Bernardo Carlo Robe
21. Bibiana Berleze
22. Brady Adrian Gonçalves Silveira
23. Bruna Brondani Pafhalia
24. Bruna Camila Graeff
25. Bruna Karoline Gecai
26. Bruno Kraulich
27. Camila Cassulo Ramos
28. Carlitos Chaves Soares
29. Carolina Simões Corte Real
30. Cássio Garcez Biscaino
31. Cecília Soares Vargas
32. Clarissa Lima Teixeira
33. Crisley Caroline Saraiva Freitas da Palma
34. Daniel Knabbem da Rosa
35. Daniel Sechim
36. Daniele Dias de Mattos
37. Danilo Brauner Jaques
38. Danriei Darin
39. David Santiago de Souza
40. Débora Chiappa Forner
41. Deives Marques Gonçalves
42. Diego Comim Silvéster
43. Dionatham Kamphorst Paulo
44. Douglas da Silva Flores
45. Elizandor Oliveira Rolin
46. Emerson Cardoso Pain
47. Erika Sarturi Becker
48. Evelin Costa Lopes
49. Fábio José Cervinski
50. Fernanda de Lima Malheiros
51. Fernanda Tischer
52. Fernando Michel Devagarins Parcianello
53. Fernando Pellin
54. Flávia Decarle Magalhães
55. Geni Lourenço da Silva
56. Gilmara Quintanilha Oliveira
57. Giovane Krauchemberg Simões
58. Greicy Pazzini Bairro
59. Guilherme Fontes Gonçalves
60. Guino Ramom Brites Burro
61. Gustavo Ferreira Soares
62. Heitor Teixeira Gonçalves
63. Helena Poletto Dambros
64. Helio Trentin Junior
65. Henrique Nemitz Martins
66. Herbert Magalhães Charão
67. Igor Stefhan de Oliveira
68. Ilivelton Martins Koglin
69. Isabela Fiorini
70. Ivan Munchem
71. Jacob Francisco Thiele
72. Jaderson da Silva
73. Janaina Portella
74. Jéssica Almeida Kongen
75. João Aluisio Treuliebe
76. João Carlos Barcellos Silva
77. João Paulo Pozzobom
78. João Renato Chagas de Souza
79. José Luiz Weiss Neto
80. José Manoel Rosa da Cruz
81. Juliana Moro Medeiros
82. Juliana Oliveira dos Santos
83. Juliana Sperone Lentz
84. Juliano de Almeida Farias
85. Karen Fernanda Knirsch
86. Kelen Aline Karsten Favarin
87. Kellen Pereira da Rosa
88. Kelli Anne Santos Azzolin
89. Larissa Hosbach
90. Lauriani Salapata
91. Leandro Avila Leivas
92. Leandro Nunes da Silva
93. Leonardo de Lima Machado
94. Leonardo Lemos Karsburg
95. Leonardo Machado de Lacerda
96. Leonardo Schoff Vendrúsculo
97. Letícia Vasconcellos
98. Lincon Turcato Carabagiale
99. Louise Victoria Farias Brissow
100. Luana Behr Vianna
101. Lucas Dias de Oliveira
102. Luana Faco Ferreira
103. Lucas Fogiato
104. Lucas Leite Teixeira
105. Luciane Moraes Lopes
106. Luciano Ariel Silva da Silva
107. Luciano Tagliapetra Esperidião
108. Luiz Antonio Xisto
109. Luiz Carlos Ludin de Oliveira
110. Luiz Eduardo Viegas Flores
111. Luiz Felipe Balest Piovesan
112. Luiz Fernando Riva Donate
113. Luiz Fernando Rodrigues Wagner
114.Luiza Alves da Silva
115.Maicon Afrolinario Cardoso
116.Maicon Douglas Moreira Iensen
117.Maicon Francisco Evaldt
118.Manuele Moreira Passamane
119.Marcelo de Freitas Salla Filho
120.Marcos André Rigoli
121.Marfisa Soares Caminha
122.Mariana Comassetto do Canto
123.Mariana Machado Bona
124.Mariana Moreira Macedo
125.Mariana Pereira Freitas
126.Marilene Iensen Castro
127.Marina de Jesus Nunes
128.Marina Kertermann Kalegari
129.Martins Francisco Mascarenhas de Souza Onofre
130.Marton Matana
131.Matheus Pacheco Brondani
132.Mauricio Loreto Jaime
133.Melissa Bergemeier Correia
134.Melissa do Amaral Dalforno
135.Michele Dias de Campos
136.Micheli Froehlich Cardoso
137.Miguel Webber May
138.Mirella Rosa da Cruz
139.Murilo de Souza Barone Silveira
140.Murilo Garcez Fumaco
141.Natana Pereira Canto
142.Natascha Oliveira Urquiza
143.Natiele dos Santos Soares
144.Odomar Gonzaga Noronha
145.Otacílio Altíssimo Gonçalves
146.Patrícia Pazzini Bairro
147.Paula Batistela Gatto
148.Paula Simone Melo Prates
149.Pedro de Oliveira Salla
150.Pedro Morgental
151.Rafael de Oliveira Dorneles
152.Rafael Dias Ferreira
153.Rafael Paulo Nunes de Carvalho
154.Rafael Quilião e Oliveira
155.Rafaela Schimidt Nunes
156.Raquel Daiane Fischer
157.Rhaissa Gross Cúria
158.Rhuan Scherer de Andrade
159.Ricardo Custódio
160.Ricardo Dariva
161.Ricardo Stefanello Piovesan
162.Robson Van der Hahn
163.Rodrigo Belling Hausen Bairros Costa
164.Roger Barcellos Farias
165.Roger Dallanhol
166.Rogério Cardoso Ivaniski
167.Rogério Floriano Cardoso
168.Rosabe Fernandes Rechermann
169.Ruan Pendenza Callegari
170.Sabrina Soares Mendes
171.Sandra Victorino Goulart
172.Shaiana Tauchem Antoline
173.Silvio Beurer Junior
174.Stefane Posser Simeoni
175.Suziele Cassol
176.Thailan Rebhein de Oliveira
177.Thailan de Oliveira
178.Taís da Silva Scaplin de Freitas
179.Taize Santos dos Santos
180.Tanise Lopes Cielo
181.Thais Zimermann Darif
182.Thanise Correa Garcia
183.Thiago Amaro Cechinatto
184.Tiago Dovigi Cegabinaze
185.Uberafara Soares Bastos Junior
186.Vagner Rolin Marastega
187.Vandelcork Marques Lara Junior
188.Vanessa Vancovicht Soares
189.Victor Datria Mcagnam
190.Victor Martins Shimitz
191.Vinicios Greff
192.Vinicios Paglnossim de Moraes
193.Vinicius Silveira Marques de Mello
194.Vinicius Marconato Uggeri
195.Vinissios Montardo Rosado
196.Vitória Dacorso Saccol
197.Walter de Mello Cabistani
198. Andressa Ferreira Flores
199.Andressa Inaja de Moura Ferreira
200.Bárbara Moraes Nunes
201.Bruna Eduarda Neu
202.Carlos Alexandre dos Santos Machado
203.Cristiane Quevedo da Rosa
204.Daniela Betega Ahmad
205.Dulce Raniele Gomes Machado
206.Emili Contreira Ercolani
207.Ericson Ávila dos Santos
208.Felipe Vieira
209.Flávia Maria Torres Lemos
210.Franciele Soares Vargas
211.Francielli Araujo Vieira
212.FrancileVizioli
213.Gabriela Corcine Sanchotene
214.Gabriela dos Santos Saenger
215.Heitor Santos Oliveira Teixeira
216.Jennefer Mendes Ferreira
217.Julia Cristofali Saul
218.Larissa Terres Teixeira
219.Leandra Fernandes Toniolo
220.Letícia Ferraz da Cruz
221.Letícia Baú
222.Luiza Batistella Puttow
223.Maria Mariana Rodrigues Ferreira
224.Matheus de Lima Librelotto
225.Matheus Engert Rebolho
226.Merylin de Camargo dos Santos
227.Monica Andressa Glanzel
228.Neiva Carina de Oliveira Marin
229.Pâmella de Jesus Lopes
230.Paula Porto Rodrigues Costa
231.Priscila Ferreira Escobar
232.Sandra Leone Pacheco Ernesto
233.Taise Carolina Vinas Silveira
234. Viviane Tólio Soares
LUTO

Fonte: O estadão
           G1.com
           Facebook

Sei que muita gente vai se ofender com o que vou dizer aqui. Muitos estão sobre um sentimento chamado ‘revolta’ é verdade! Porém, a culpa não é unicamente da Banda, e sim, dos responsáveis pela fiscalização dessas casas de shows que existem por ai. Muitas funcionam de maneira totalmente irregular isso é um fato. Sinto muito por essas pessoas... muito. Contudo, sinto também por esses rapazes que lutaram para chegar até aqui. E, que por irresponsabilidade dos ‘donos e fiscalizadores’ dessas casas noturnas que superlotam seus ambientes só pensando no dinheiro e não na segurança das pessoas, também viram seus sonhos virando cinzas.
 

Rosélia Santos

 



 

A partir de segunda feira começarei a fazer Resenhas dos produtos que serão postos a venda para vocês!! Aguardem.