5 de janeiro de 2014

MORRE O PEQUENO/GRANDE CANTOR NELSON NED


Morre o pequeno/grande cantor Nelson Ned, de 66 anos de idade. Ele foi internado na tarde deste sábado (4) no Hospital Regional de Cotia, em São Paulo. Segundo a assessoria da Secretaria Estadual de Saúde, o artista foi acometido por pneumonia grave e faleceu neste domingo.
Em 2003, o cantor sofreu um acidente vascular cerebral que comprometeu sua parte vocal. Nelson, vivia em São Paulo, sob a guarda e cuidados de Neuma, uma de suas irmãs.
Primogênito dos 7 filhos de Nelson de Moura Pinto e Ned d´Ávila Pinto, saiu de Ubá (MG) para tentar a vida no Rio de Janeiro aos 17 anos. Começou bem distante dos palcos, trabalhando em uma linha de montagem de uma fábrica de chocolates. Cantou em boates paulistas e cariocas antes da maioridade e era escondido embaixo do balcão das casas quando o Juizado de Menores passava para fiscalizar.
Tempos depois, passou a ser figura recorrente no programa do Chacrinha, que ele considerava o “pai de sua carreira artística”. Foi na televisão que conquistou espaço e sucesso com o hit “Tudo passará”, uma de suas primeiras músicas.
Fez apresentações inesquecíveis como os shows em Carnegie Hall e no Madison Square Garden, ambos em Nova York.
Certa vez em uma entrevista, Nelson Ned, falou que no exterior, ele sentia que era tratado com respeito e pouco preconceito. Aqui, diz que foi estigmatizado por ser um anão que fazia do amor um sofrimento musical. “Lá fora eu não tinha rosto, era só uma grande voz”, afirma.
Embora tenha sofrido o que hoje foi patenteado de “bullying”, as chacotas e rótulos não o impediram de fazer sucesso com o público feminino. Ao saber que o amigo e cantor Agnaldo Timóteo o considerava “um anão tarado, terror das mulheres”, Ned dava gargalhadas e confirmava a definição. “Elas queriam me carregar no colo, era uma coisa maternal. Viam-me como uma teteia, como se eu fosse inofensivo”.
As aventuras de Nelson eram incontáveis, porém, os amores verdadeiros ele resumia a três mulheres. A  primeira paixão foi Eliciane, filha de um gerente na fábrica de chocolates. Depois veio Marly, com quem teve três filhos e, por fim, Cida.
Com 32 discos gravados em português e espanhol, ele se considerava um poliglota. Dizia que, assim como os jogadores de futebol, aprende a falar inglês, espanhol e italiano de tanto frequentar os EUA, a Europa e América Latina. De tanto cantar fora do Brasil, ele acabava pegando rapidamente o sotaque.
Sucessos inesqucívéis: Tudo passará, Meu jeito de amar, Jesus está voltando, Penso em você , Meu jeito de amar, Eu sonhei que tu estavas tão linda, Prelúdio à volta e tantos outros.
“Tenho certeza de que fui um dos melhores cantores do mundo. Fiz muito sucesso aqui e lá fora em uma época nada globalizada. Fui o primeiro artista brasileiro a cantar no Canecão sozinho”. Nelson Ned.
 
Fonte pesquisada: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Fique a vontade e volte quando quiser.
Deixe seu comentário no quadro abaixo.
Bjussss Rosélia Santos.

A partir de segunda feira começarei a fazer Resenhas dos produtos que serão postos a venda para vocês!! Aguardem.