2 de janeiro de 2012

POR UMA MELHOR EDUCAÇÃO


   Rosélia Santos

Na mensagem de ano novo do domingo passado, o Papa Bento XVI insistiu na necessidade de investir nos valores morais, nas crianças e jovens, para que possam "construir um mundo melhor".
 Pelo menos aqui no Brasil, a mensagem não se encaixa. Pois, na atualidade, estamos vivendo um processo de sublimação na esfera social. No governo Luis Inácio Lula da Silva, mais ou menos 30 milhões de pessoas foram incluídos no mercado consumista. Isto é, conquistaram maior poder aquisitivo. Por outro lado, essa conquista veio totalmente desacompanhada de uma educação sólida. Contudo, de nada adiantou, culturalmente falando, ou seja, a renda familiar aumentou e o repertório cultural continuou/continua na mesma.
Bento XVI disse lamentar que as crianças sejam, hoje, criadas numa "realidade social que pode levá-las à intolerância e à violência". Em sua mensagem, o Papa pediu que fosse transmitido a elas, "um profundo senso de justiça e de respeito ao próximo".
Transmitir como??
Voltando ao que falei acima, com a renda maior, esses brasileiros estão seguindo em ritmo frenético, que é sugerido pela mídia. Hoje, se compra um carro em sessenta prestações, eletrodomésticos, os chamados 'linha branca', com impostos reduzidos... ficou mais fácil. E por aí vai.
É como se estivesse acontecendo uma domesticação, literalmente falando. Esse controle de mentes está ocorrendo nos lares mundiais, e, nossas crianças e jovens estão à mercê de máquinas eletrônicas, bem como vivendo num emaranhado de teias, formado por BBBs, CQCs, Pânicos, Faustões, Hebes, Gugus, Trocas de famílias, etc., etc...
O pontífice também fez um apelo aos líderes religiosos e educadores do mundo, mostrando a necessidade de "transmitir aos jovens os valores da paz e da justiça" [...]. "A cultura do relativismo apresenta uma questão radical: é ainda necessário educar? E educar para que?", questionou o Papa Bento.
Educar para que? Boa pergunta!
A escola, hoje não ocupa espaço na preocupação de nossos representantes. Essa é que é a verdade! Se a Escola é pública, na sua grande maioria, país afora, está cheia de deficiências, se é particular, é reprovada pelo Ministério, tirando notas deploráveis em suas avaliações.
Ora... Lutar por melhores condições de ensino... que nada... isso é conversa de professor preguiçoso que não ama o que faz.
Eis ai um enorme desafio. Educar para que?
Que a situação é deplorável, já se sabe. Agora a ordem do dia é as palavrinhas mágicas: QUALIDADE NA EDUCAÇÃO. Se, o país está vencendo a fome e a pobreza material, porque não começar uma grande luta para a construção humana?
Enfim, não basta só avançar na esfera socioeconômica. Vale lembrar que a meta estabelecida há dez anos, era colocar 30% dos jovens entre 18 e 24 anos no nível superior até 2010. No entanto, só se conseguiu até agora incluir 16% e, tem mais, 75% desse porcentual foram incluídos em faculdade privadas.
O fato é que, se não houver uma aproximação de níveis materiais e educacionais, o 'estado' está apenas fornecendo tijolo e cimento, para construir um país de medíocres.

Um comentário:

Francisco Netto disse...

Oi Rosélia Santos, paz e parabéns pela sua página digital. Vim conhecer e felicitar por mais um ano novo...

Está show o seu blog. Atual e recheado e contúdo de primeira.

Aproveito e a convido a visitar e opinar no meu blog.

http://wwwteologiavivaeeficaz.blogspot.com/

Profº Francisco Netto

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Fique a vontade e volte quando quiser.
Deixe seu comentário no quadro abaixo.
Bjussss Rosélia Santos.

A partir de segunda feira começarei a fazer Resenhas dos produtos que serão postos a venda para vocês!! Aguardem.